• (14) 3434-2525
  • superintendencia@hc.famema.br

Março Azul Marinho – Câncer Colorretal

Março Azul Marinho

Câncer Colorretal

 

 

 

PODCAST – MARÇO AZUL MARINHO

 

Março Azul Marinho
A campanha Março Azul Marinho tem por objetivo alertar a população sobre a conscientização da prevenção e combate do câncer colorretal.

O que é o câncer colorretal?
São tumores que acometem o intestino grosso, principalmente nas regiões chamadas de colo, reto e ânus.

No Brasil o tumor colorretal é o quarto que mais atinge homens e o terceiro na mulher com maior incidência nas regiões Sul e Sudeste.

Os principais fatores relacionados ao maior risco de desenvolver câncer colorretal são:
• Idade: acima de 50 anos;
• História familiar de câncer de intestino;
• Ter uma dieta:
– Pobre em fibras;
– Ingestão excessiva de carnes vermelhas;
– Carnes processadas: salsicha, mortadela, linguiça, presunto, salame, bacon, peito de peru;

Quais são os principais sintomas?
Os sintomas dependem da localização do câncer.
Câncer localizado no colo direito, os sintomas mais frequentes são diarréia, anemia e massa palpável.
Câncer do colo esquerdo apresenta constipação intestinal e obstrução intestinal.
Câncer do reto os sintomas são sensação de evacuar, muco e fezes em fitas.
A incidência de câncer com evolução assintomática ou com sintomas raros é o grande obstáculo para o diagnóstico precoce.

Em caso de suspeita da doença, qual especialidade profissional devemos procurar?
Gastroenterologista Cirúrgico

Como podemos prevenir?
Ter uma dieta rica em fibras produtos de origem vegetal, pobre em gordura saturada e diminuir ingesta de carnes vermelhas.

O câncer colorretal apresenta chances de cura se diagnosticado precocemente.
O rastreamento e a vigilância do CCR se justificam pela alta incidência da doença e visa reduzir a mortalidade.
A prevenção está intimamente relacionada na detecção precoce de lesões pré-malignas, os adenomas.
O diagnóstico precoce pode ser feito pela pesquisa de sangue oculto nas fezes e por colonoscopia.

Texto elaborado pelo Prof. Dr. Valdeir Fagundes de Queiroz
Médico Endocopista do HCFAMEMA
Gastroenterologista da FAMEMA
CRM 20191